Profissionais de higienização são homenageados no Hospital Galileu

Em alusão ao Dia do Auxiliar de Serviços Gerais, lembrado nesta segunda-feira, 22, o Hospital Público Estadual Galileu prestou homenagens aos profissionais que atuam no setor de higienização da unidade.

A direção do Galileu, hospital mantido pelo Governo do Pará, com gestão pela Pró-Saúde em Belém, promoveu um café da manhã especial. Uma roda de conversa também foi proposta para destacar a importância desses profissionais no combate a proliferação de doenças no ambiente hospitalar.

“Temos um reconhecimento imenso por estes profissionais. Sabemos a importância da atuação de cada um para mantermos nosso hospital livre de infecções e doenças e, consequentemente, manter a segurança de nossos pacientes”, ressaltou Thiago Zaché, diretor Hospitalar do Galileu.

A colaboradora Silvia Diniz atua como camareira há três anos. Para ela, o trabalho que desempenha dentro do hospital é gratificante e, ao mesmo tempo, desafiador. “Sei da importância em deixar os leitos nas enfermarias higienizados. Afinal, será a estadia de um paciente durante algum tempo. Faço com orgulho”, disse.

Diariamente, a equipe de higienização do Hospital Galileu realiza a limpeza e desinfecção de todas as áreas do hospital. Com o início da pandemia, o trabalho precisou ser intensificado. Atualmente, mais de 40 profissionais integram a equipe de higienização do Hospital Galileu.

“A atuação destes profissionais impede a proliferação de doenças como a Covid-19. Por isso, desde o início da pandemia, desenvolvemos protocolos de higiene e limpeza em todo o hospital e intensificamos a importância da utilização de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) entre nossos colaboradores”, ressalta Anderson Aquino, supervisor de hotelaria.

Atuação da equipe

A limpeza e a desinfecção de um ambiente hospitalar são tão importantes quanto os protocolos de assistência ao paciente. As práticas precisam estar inseridas na rotina do hospital, seguindo normas sanitárias e orientações do setor de controle de infecções.

Um ambiente hospitalar limpo, com redução do número de microrganismos em superfícies, ficará apto para desenvolver as atividades diárias oferecidas. “Utilizamos técnicas de limpeza específicas para cada ambiente. Assim, conseguimos promover a limpeza e desinfecção de todas as áreas”, acrescenta Anderson.

Certificado de excelência nacional

Como exemplo da importância de protocolos assistenciais e de higienização, o Hospital Galileu manteve a certificação ONA 3 – Acreditado com Excelência, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA).

A conquista aconteceu no ano passado, após o hospital passar por uma rigorosa auditoria, realizada pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini, associada a ONA. A entidade avaliou a qualidade e eficácia dos 1.482 processos internos do Galileu, atestando a qualidade de gestão da unidade.

A ONA é responsável pelo desenvolvimento e gestão dos padrões de qualidade e segurança em saúde no país, sendo a mais respeitada entidade avaliadora do setor no Brasil.

A organização é associada à ISQua, sigla em inglês para a Sociedade Internacional de Qualidade e Cuidados na Saúde. Atua ao lado de instituições presentes em diferentes países, como Estados Unidos, França e Canadá.