Hospital Galileu destaca o papel do fonoaudiologia na reabilitação de pacientes

Em alusão ao Dia do Fonoaudiólogo, lembrado no dia 9 de dezembro, a equipe de Fonoaudiólogos do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém (PA), promoveu um dia especial com destaque na importância do profissional na prevenção, habilitação e reabilitação da voz, audição, motricidade oral, leitura e escrita.

Com treinamentos e uma ação com acadêmicos de fonoaudiologia, pacientes, acompanhantes e colaboradores puderam compreender o papel desse profissional no ambiente hospitalar.

Durante o dia, foram transmitidos, pelos alto-falantes do hospital, mensagens sobre o serviço de Fonoaudiologia do Hospital Galileu – o momento Fono-Dicas. As orientações foram elaboradas a partir de conversas com a equipe multidisciplinar da Unidade, gerenciada pela Pró-Saúde, que identificaram dúvidas entre os pacientes sobre o real trabalho do fonoaudiólogo. Além disso, a oficina “Você sabe o que faz um fonoaudiólogo?”, mostrando todas as áreas de atuação, principais demandas e possibilidades terapêuticas.

“O objetivo dessas ações é orientar profissionais, pacientes e cuidadores sobre o trabalho do fonoaudiólogo, bem como conscientizá-los sobre a dificuldade de engolir, que é a maior demanda aqui no Hospital Galileu, garantindo uma qualidade na assistência e identificação precoce dos distúrbios de deglutição”, explica o Fonoaudiólogo Rômulo Brito.

Após o treinamento, acadêmicos voluntários de Fonoaudiologia da Universidade da Amazônia passaram em todas as enfermarias do hospital fazendo orientações lúdicas sobre o assunto, voltadas, especificamente, para o paciente e seu acompanhante.

2,9 mil atendimentos em fonoaudiologia

Dentro de um hospital, o fonoaudiólogo atua de forma precoce, preventiva e que visa diminuir possíveis sequelas das formas de comunicação do paciente em tratamento após um trauma na região da face, por exemplo. “O profissional que trabalha em um hospital precisa desempenhar várias funções dentro de sua área, focando no processo de deglutição, que é a maior demanda”, ressalta Rômulo. De janeiro até novembro de 2019, o Hospital Galileu registrou 2.896 atendimentos ambulatoriais de fonoaudiologia, que envolvem tratamentos na recuperação da deglutição e de pacientes que apresentam dificuldades na fala após trauma.

O paciente Luan Patrick precisou passar por uma traqueostomia após um acidente de moto, indicado em emergências como dificuldade na respiração por vias aéreas e em incubações prolongadas. Desde então, tem feito o acompanhamento com a equipe de fonoaudiologia do Galileu. “O tratamento fonoaudiológico me ajudou bastante, principalmente, na respiração. A deglutição está, aos poucos, melhorando também”, disse.

Sobre o HPEG

O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) é uma unidade de retaguarda, que atende média e alta complexidades, e presta assistência hospitalar em traumato-ortopedia, clínica médica e cardiologia. O hospital, localizado na Rodovia Mário Covas, nº 2253, é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (SESPA).

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 22 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.