Hospitais públicos do Pará recebem reconhecimentos nacionais por atitudes sustentáveis

O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém, e o Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira receberam no dia 9/10, em São Paulo, o Prêmio “Amigo do Meio Ambiente”, da Secretaria de Estado de Saúde paulista. Os projetos das duas unidades foram selecionados entre os 15 melhores da décima edição do prêmio, que condecora iniciativas para promover a sustentabilidade no Sistema Único de Saúde.

Disputaram esta edição 116 projetos, vindos de dez estados brasileiros, de unidades de saúde públicas e privadas. A entrega dos prêmios aconteceu durante a cerimônia de abertura da ‘‘III Conferência Latino-americana de Hospitais Verdes e Saudáveis’’ e ‘‘X Seminário Hospitais Saudáveis (SHS2017)’’.

HPEG reduzindo a emissão de gases

O Hospital Galileu foi premiado com o projeto “Programa Anual de Liderança e mitigação de gases do efeito estufa”, que busca demonstrar e analisar as medidas trabalhadas na unidade, com o objetivo de reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) e os impactos causados ao meio ambiente.

O programa apontou, por exemplo, que do ano 2015 para 2016 o hospital já reduziu em mais de 15% a emissão de GEE, adotando medidas, como a “Blitz do desperdício”; “Blitz de resíduos”; substituição das lâmpadas fluorescentes por led; sistema de votação eletrônica para avaliação de treinamentos; distribuição de mudas; oficinas de reaproveitamento de cascas e sementes; criação do Comitê de Sustentabilidade; educação ambiental na recepção do hospital; oficina terapêutica com reaproveitamento de materiais reciclados, entre outras. E está muito próximo de alcançar seu objetivo de reduzir essas emissões em 20% até o ano de 2020, compromisso assumido perante o “Desafio 2020 – A Saúde pelo Clima”.

O “Desafio 2020” se baseia em três pontos principais: mitigação – reduzir a própria pegada de carbono do setor saúde; resiliência – preparar para os impactos do clima extremo e alterações na carga de doenças; e liderança – educar equipes de saúde e público em geral e promover políticas de proteção à saúde pública face às mudanças climáticas.

“Estar entre os 15 melhores projetos do prêmio nos mostra que estamos no caminho certo, pois estruturamos um setor de sustentabilidade de forma planejada, alinhado ao planejamento estratégico de nossa unidade. Assim conseguimos garantir a realização de ações sólidas que vão impactar positivamente nos três pilares: ambiental, social e financeiro”, afirma o diretor-geral do HPEG, Saulo Mengarda.

Inventário

Em 2017, o Galileu publicou, pela primeira vez, o inventário completo de todas as suas emissões de gases de efeito estufa. O levantamento de dados foi feito utilizando o GHG Protocol, método mais usado mundialmente para a mensuração de gases de efeito estufa.

No caso do hospital, o inventário teve como base os dados de combustão estacionária (óleo diesel utilizado no gerador, gás de cozinha e gasolina), consumo de energia elétrica, resíduos sólidos e emissões fugitivas (gases de refrigeração e extintores de incêndio). Pela publicação do inventário completo, o hospital recebeu a certificação selo prata, do programa brasileiro GHG Protocol.

HRPT contra o desperdício

O Hospital Regional Público da Transamazônica apresentou o projeto “Gerenciamento de resíduos do HRPT e seu impacto ao meio ambiente”, que se trata de um compilado de ações da unidade para evitar o desperdício e promover o reaproveitamento.

As ações vão desde a construção da unidade, que utilizou colunas pré-moldadas para reduzir a utilização de tijolos e a emissão de gases no meio ambiente; a substituição de equipamentos à base de mercúrio; aproveitamento total dos alimentos, utilizando produtos locais e erradicando o óleo de cozinha; reutilização de materiais como lençóis; troca das lâmpadas por led; reutilização das mantas de SMS; incentivo ao uso consciente do papel, reaproveitando os dois lados da folha em impressões e anotações; reutilização das bombonas da hemodiálise como caixas para material do almoxarifado; substituição de tubos de vidros para tubos descartáveis; etc…

“Trabalhamos muito a cultura da sustentabilidade, ao longo dos anos, porque faz parte do nosso papel enquanto hospital, levando em consideração a localidade onde estamos inseridos. Esse prêmio é um reconhecimento importante em nível nacional e só reforça e faz com que tenhamos cada vez mais preocupação e responsabilidade com o meio ambiente. É a segunda vez que ganhamos o ‘Amigo do Meio Ambiente’ e isso mostra que as nossas práticas funcionam e duram’’, ressalta o diretor-geral do HRPT, Edson Primo.

Resultados

Entre os resultados obtidos pela unidade, pode-se destacar o uso consciente de papel, que acarretou em uma diminuição mensal de 18% na quantidade de resmas utilizadas este ano. Os setores administrativos do hospital foram todos presenteados com lixeiras azuis para o descarte de papel após a utilização dos dois lados da folha – a própria lixeira é feita de material reciclado, a partir do reaproveitamento de galões com hipoclorito, que eram utilizados para a limpeza e depois descartados. Durante a entrega, os colaboradores receberam orientação sobre como reaproveitar as folhas de papel.

A transformação das mantas de SMS também é outra prática muito importante e eficaz, já que uma média de 150 quilos do material é reciclado e reutilizado por mês, virando bolsas, sacolas, rampers, lençóis e aventais. As sacolas retornáveis garantem a redução de um rolo de sacos plásticos por mês, no guarda-volumes. Já nos setores da farmácia e almoxarifado, as sacolas feitas das mantas reduziram o uso de 160 rolos de saco plástico para apenas 11, mensalmente.

A troca das lâmpadas por novas de led, que começou em 2015, também já trouxe bons resultados. Só do ano passado para cá, foram trocadas 729 lâmpadas, totalizando uma economia de 12.345 watts de energia em 2016 e 2017.

Sustentabilidade

As duas unidades são geridas pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, por meio de contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). A sustentabilidade é um princípio da entidade, que também administra os hospitais Oncológico Infantil (Belém), Regional do Baixo Amazonas (Santarém) e Regional do Sudeste do Pará (Marabá). Estes três receberam menção honrosa durante a entrega do prêmio ‘‘Amigo do Meio Ambiente’’ pelos projetos ambientais vigentes.

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, recebeu dois certificados de menção honrosa pelos projetos “Reciclagem de resíduos em um hospital público na Região Amazônica” e “Integração da saúde, educação e comunidade em respeito ao meio ambiente”. O HRBA e o HPEG fazem parte dos 15 hospitais no mundo, e os únicos brasileiros que são públicos, que possuem o selo “Materiality Disclosures”, emitido pela Global Reporting Initiative (GRI). Eles conquistaram a certificação com a produção do relatório de sustentabilidade, que é uma atitude de transparência e compromisso com os pilares de economia, sociedade e meio ambiente.

‘‘O HRBA é um pioneiro na região Norte do país para debater e implantar ações voltadas para a sustentabilidade. Nós entendemos que é impossível pensar numa sociedade desenvolvida sem que ela respeite o meio ambiente, e o Hospital Regional tem essa preocupação de conciliar as suas atividades assistenciais, com qualidade e segurança, às práticas sustentáveis’’, diz o diretor-geral da unidade, Hebert Moreschi.

Já o Hospital Regional do Sudeste do Pará, em Marabá, recebeu menção honrosa pelo projeto “Reuso de água de ar condicionado”, que está em fase de implantação até o final deste mês. Um sistema de canalização está sendo montado para armazenar a água que sai dos ares-condicionados da unidade.

De acordo com o diretor do HRSP, Valdemir Girato, o sistema será capaz de armazenar mais de dois mil litros de água por dia, que será utilizada para a limpeza das calçadas e janelas do hospital. “É importante a gente contribuir com o meio ambiente. A cada dia que passa, diminui o fluxo de água nos rios. Temos cidades no Pará onde não chove há quatro meses. Então, a reutilização desta água é benéfica para todo mundo”, destaca o diretor Valdemir Girato.

O Oncológico Infantil recebeu menção honrosa por conta do projeto ‘‘O impacto da gestão no gerenciamento dos resíduos sólidos em um serviço público de saúde’’, que apresentou os dados referentes às ações realizadas para redução de resíduos infectantes gerados e garantia da segregação correta de resíduos da instituição.

Além disso, o Oncológico Infantil, o Hospital Galileu e o HRBA receberam dois troféus de reconhecimento: do ‘‘Desafio 2020 – a Saúde pelo Clima’’, em 2017; e do ‘‘Desafio Global Resíduo’’.

De acordo com o diretor Operacional da Pró-Saúde, Paulo Czrnhak, que também coordena as ações do programa de Sustentabilidade da entidade no Estado, é dever das unidades realizar ações que incentivem a sustentabilidade, para que colaboradores, acompanhantes, usuários e a comunidade sejam sensibilizados. “Atuamos em prol de uma melhor qualidade de vida, e para isso, devemos ir além de prestar atendimento em saúde, e trabalhar na educação em saúde, fomentando na sociedade uma cultura na qual mente e corpo estejam sãs. E isso só ocorre, quando mudamos de atitude”.