Pró-Saúde promove ação para catadores de materiais recicláveis

Rosana Ferreira dos Reis, de 40 anos, trabalha com coleta de materiais recicláveis desde muito cedo. Ela lembra de ir ainda criança com os pais para o Lixão do Aurá trabalhar na coleta. Rosana casou, teve dois filhos, netos, e o trabalho com materiais recicláveis continuou sendo o principal sustento da família. Com a rotina pesada de trabalho, ela confessa que se acostumou a deixar os cuidados com a saúde sempre para depois. “É difícil eu procurar um posto de saúde, porque para ir ao médico é uma diária do meu trabalho perdida”, afirmou.

Nesta quinta-feira, 25, Rosana teve um bom motivo para tirar um momento para cuidar da saúde. A Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, por meio do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), esteve na Associação de Recicladores das Águas Lindas (Aral), local onde Rosana trabalha, para realizar uma ação de saúde com serviços de avaliação nutricional, avaliação de nível de estresse, teste de glicemia, verificação de pressão arterial e ginástica laboral.

Para ela, que afirmava nunca ter tempo para ir ao médico, a ida dos enfermeiros e técnicos de saúde ao seu local de trabalho, veio para acabar com as desculpas. “Foi muito importante para a gente. Toda a minha família trabalha aqui na Aral e está todo mundo aqui participando. Acho importante, é a oportunidade para a gente se cuidar”, ressaltou.

A ação também chegou em boa hora para Deuzilene Conceição da Silva, de 37 anos, que durante a aferição de pressão arterial descobriu que estava com a pressão alta. Ela que tem familiares que sofrem com hipertensão, disse que servirá de alerta para cuidar mais da saúde daqui para a frente.

“A verdade é que a gente trabalha muito, chega cansado, ainda tem coisas para fazer em casa, então acaba não cuidando da saúde. Eu também como muito sal e ando muito estressada, mas agora sei que tenho que procurar um posto de saúde e ficar de olho na minha pressão”, declarou.

Ação do Bem

 A ação de saúde faz parte das“50 Ações do Bem” da Pró-Saúde, uma iniciativa que vem acontecendo ao longo do ano de 2017 em todas as unidades geridas pela entidade, e leva ações voltadas à promoção da saúde e do bem-estar de colaboradores, pacientes e comunidade em geral.

Esta foi a primeira “Ação do Bem” realizada pela Pró-Saúde, por meio do Hospital Galileu. Unidade gerenciada pela entidade desde sua inauguração, em 2014, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

O supervisor administrativo da entidade, Sandro Mendes, explica porque o projeto foi iniciado pela Associação de Recicladores das Águas Lindas. “A gente tem contato com a Aral desde 2015, quando começamos a encaminhar os nossos materiais recicláveis para eles. Com o tempo, fomos percebendo as carências que eles tinham e que só mandar os materiais recicláveis era pouco”.

A Pró-Saúde decidiu então começar a organizar ações de orientações para os catadores, primeiro sobre a importância do uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI), depois sobre os direitos e programas sociais do Governo Federal, e, agora, a primeira ação do Bem, com serviços de saúde.

O próximo passo será um momento voltado para orientação em Segurança Ocupacional, já marcado para o dia 25 de outubro. Na ocasião, com o apoio da Sespa, serão disponibilizadas vacinas de Hepatite B, Hepatite C e Tétano, que são obrigatórias para profissionais que atuam com coleta de resíduos.

De acordo com o presidente da Comissão de Resíduos do Hospital Galileu, Diego Santos, a vacinação será fundamental para os trabalhadores da Aral. “Eles precisam dessas vacinas para se proteger, principalmente pela natureza do trabalho deles, e é algo que a gente já percebeu que a grande maioria não tem”, ressaltou.

Sustentabilidade

As unidades gerenciadas pela Pró-Saúde vêm se destacando no cenário nacional pelas ações voltadas para Sustentabilidade. O Hospital Público Estadual Galileu, além de trabalhar desde 2015 com a separação de resíduos sólidos e envio destes materiais para a Aral, participa do projeto “Hospitais Saudáveis”, através do qual se comprometeu a diminuir a emissão de gases do efeito estufa em 20% até o ano de 2020.

A unidade é também uma das pioneiras no país na elaboração de relatórios de sustentabilidade da Global Reporting Initiative (GRI), o que lhe rendeu o selo “Materiality Disclosures”, dirigido a entidades que focam suas ações em práticas que minimizem impactos ambientais, econômicos e sociais.

Em agosto deste ano, a Pró-Saúde ainda conquistou, por meio do Hospital Galileu, o prêmio “Líderes da Saúde Norte e Nordeste” na categoria Sustentabilidade e publicou seu primeiro inventário completo de emissão de gases do efeito estufa, em reconhecimento recebeu o selo prata.