Hospital Galileu conecta vidas em prol da recuperação dos pacientes

O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém (PA), preza pelo trabalho com foco na segurança e bem-estar de seus usuários, humanizando o atendimento. O Visita Virtual, iniciado em dezembro do ano passado, é a prova disso. O projeto permite que pacientes em tratamento mantenham contato com outras pessoas que estejam em qualquer parte do mundo, por meio da internet. A instituição disponibiliza um notebook conectado à internet banda larga com recursos de áudio e vídeo. Para participar da Visita Virtual, o paciente passa por uma avaliação clínica e psicológica.

O Hospital é referência em cardiologia, clínica médica e ortopedia, recebendo frequentemente usuários de várias partes do mundo. No caso de Thiago Costa Cardoso, 26 anos, um dos primeiros pacientes a utilizar o projeto, o contato estabelecido via internet foi com o pai, que mora no interior do Ceará. “Não podia imaginar que, dentro de um hospital, teria a chance de conversar e ver o meu pai. Foi um momento especial, inesquecível”, garantiu. Thiago esteve internado no HPEG por aproximadamente dois meses.

O coordenador de Tecnologia da Informação da instituição, Vlamir Garcia, avaliou que o projeto está sendo bem sucedido. “A minha maior satisfação é observar a emoção das pessoas hospitalizadas ao terem contato com seus familiares por meio deste recurso. Também tem o outro lado, que é ver a emoção de um pai, feliz pelo ato de poder se comunicar com seus filhos. É algo gratificante”, declarou. A direção geral do Hospital Galileu explica sobre a origem do Visita Virtual. “Quando falamos em humanização, temos que nos colocar no lugar das pessoas. Foi assim que nasceu o projeto. Ninguém gosta de ficar longe das pessoas amadas ou sem vê-las, portanto, a visita virtual ameniza este sofrimento e proporciona aos nossos pacientes momentos de alegria,” disse o diretor geral, Saulo Mengarda

A psicóloga Jennifer Lopes fala sobre a perspectiva ampliada de saúde que vai além dos tratamentos tradicionais médicos e inclui também a criação de um ambiente onde o paciente possa refletir sobre sua vida e a visita permite que a pessoa internada perceba a participação dos familiares no seu tratamento, enquanto confirmação de afeto, “ o Estado do Pará tem dimensões muito grandes e os pacientes internados no HPEG são, muitas vezes do interior e têm dificuldades de deslocamento para realização de visita hospitalar e, além disso, algumas crianças ou idosos impossibilitados de realizar a visita em virtude da idade e risco de infecção hospitalar, a visita virtual possibilita que essa aproximação não seja prejudicada. A realização da visita favorece uma continuidade entre o contexto familiar e social e o ambiente hospitalar, para que o doente não desenvolva o sentimento de ter sido arrancado de sua vida cotidiana e abandonado pelas pessoas próximas, e fortalece esses laços familiares permitindo que o paciente tenha maior motivação para realização do autocuidado, minimizando o sofrimento inerente a condição de adoecimento e, consequentemente, diminuindo o tempo de internação”, explicou.