Ações sustentáveis do Hospital Público Estadual Galileu geram economia de R$40 mil reais por ano

Ações sustentáveis do Hospital Público Estadual Galileu geram economia de R$40 mil reais por ano

O valor economizado possibilita mais investimentos na capacitação dos profissionais e melhorias físicas no ambiente hospitalar

Dentre os princípios institucionais do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), gerenciado pela Pró-Saúde em Belém, a sustentabilidade se faz presente e representa um fator fundamental praticado diariamente. A unidade investe continuamente em iniciativas pensadas para o desenvolvimento social, ambiental e financeiro, como o reaproveitamento de materiais recicláveis e até mesmo a criação de uma academia sustentável feita apenas com produtos que seriam descartados.

São ações que, além de colaborar com a preservação do meio ambiente e ofertar inúmeros benefícios para usuários e colaboradores, ainda geram, em média, uma economia de R$40 mil reais por ano. “Com este recurso economizado, podemos investir mais na capacitação dos nossos profissionais e na melhoria de vários processos da unidade. É extremamente satisfatório poder fazer uma gestão consciente e estimular práticas sustentáveis”, explica Patrícia Hermes, Diretora Financeira do HPEG.

A recuperação de itens e materiais utilizados dentro do hospital, como cadeiras e lixeiras plásticas, é uma das formas pensadas para o reaproveitamento de produtos que seriam descartados. Este processo tem como agente principal o setor de manutenção do HPEG. “A manutenção do Hospital Galileu é parte fundamental na gestão sustentável da unidade. Não só na ótica econômica, com o reaproveitamento de materiais e equipamentos por meio do reparo, como também no quesito social e ambiental”, explica Joabe Lopes, coordenador de Apoio da unidade.

O oficial de manutenção Givaldo do Socorro, atua no reparo destes materiais e na elaboração de projetos sustentáveis há seis anos. Com a sobra de materiais como madeira, ferro e plástico, itens com algum defeito podem ser reparados, voltando a ser utilizados, sem precisar da aquisição de um novo. “Proporcionamos uma nova utilização à materiais e equipamentos que seriam descartados, seja com a criação de novos itens, ou fazendo a recuperação para deixá-los em boas condições de uso novamente”, ressalta Gil.

Máscaras Face Shield

Uma das iniciativas tomadas pelo Hospital Público Estadual Galileu durante o período de pandemia, foi a criação de máscaras _Face Shield_, para utilização dos profissionais que atuam na linha de frente do combate à doença, no período em que o HPEG se tornou referência de atendimento para casos da Covid-19.

Materiais como tubos de PVC, acrílico e elásticos, foram utilizados para a confecção, que teve supervisão da Terapia Ocupacional da unidade. No total, 150 máscaras foram feitas e disponibilizadas aos profissionais, garantindo um complemento aos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), seguro e de qualidade, e que gerou uma economia de aproximadamente mil reais ao hospital.

Projetos Sustentáveis e a Comunidade

Desde a sua inauguração, em 2014, o HPEG atua fortemente em atitudes e ações que preservam o meio ambiente, envolvendo colaboradores e a comunidade na conscientização ambiental. Projetos como oficinas realizadas em escolas próximas ao hospital, criação de uma academia sustentável para usuários, ou ainda o projeto “Próximo Passo”, que confecciona calçados adaptados para pacientes em tratamento de alongamento ósseo.

“Acreditamos que o segredo deste resultado é a interação do setor de manutenção com os profissionais da assistência, promovendo a possibilidade de desenvolver ideias inovadoras, que contribuem para alcançarmos os três pilares da sustentabilidade: econômico, social e ambiental”, finaliza Joabe.

A cultura sustentável do HPEG resultou na conquista de uma importante premiação mundial à unidade em 2019: o prêmio “Health Care Climate Challenge”, sendo um dos cinco Hospitais Verdes e Saudáveis (Global Green and Healthy Hospitais – GGHH). O Hospital Galileu foi reconhecido na categoria de Redução de Gases do Efeito Estufa (Não Energia), entre 117 unidades que participaram com inscrições em todo o mundo. A GGHH realiza anualmente a seleção de hospitais, sistemas e organizações de saúde que estão avançando em direção ao cuidado inteligente com o meio ambiente.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 24 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.