Os desafios da gestão de um hospital que se tornou referência no tratamento da Covid-19

Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) mudou completamente seu perfil de atendimento para tratar casos da doença durante o pico da pandemia

A Gestão Hospitalar é fundamental para o pleno funcionamento de um hospital. A atuação destes profissionais possibilita um atendimento mais eficiente ao paciente e a harmonia entre todos os setores envolvidos no processo, desde a portaria do hospital até o médico. Durante o período de pandemia, os desafios para estes profissionais aumentaram e a necessidade de um bom planejamento estratégico foi essencial para garantir a recuperação de pacientes. Um exemplo foi o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), gerenciado pela Pró-Saúde em Belém, que mudou seu perfil de atendimento para atender exclusivamente casos de Covid-19 no Pará.

O diretor Rodrigo Fauth, está à frente da gestão do HPEG há quatro meses. Ele, que atua na área há 10 anos, com ampla experiência em Gestão Hospitalar, desenvolveu, em parceria com toda a equipe de diretores e colaboradores, um plano estratégico com normas e protocolos de segurança a serem seguidos para efetivar a mudança com qualidade e segurança.

“Foram necessárias reuniões diárias com as lideranças dos níveis estratégicos e táticos para definição das ações que seriam realizadas. Adequamos a nossa missão de Cuidar de vidas para Salvar vidas, além das mudanças internas, para atendermos pacientes de alta complexidade, realizar contratações e capacitações da equipe, além do acompanhamento da saúde mental dos nossos colaboradores durante a pandemia”, explica Rodrigo.

O Hospital Público Estadual Galileu disponibilizou 94 leitos clínicos e 10 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para atender exclusivamente casos de Covid-19 entre o dia 30 de abril e 26 de junho. Durante esses 49 dias, 145 pacientes tiveram a saúde restaurada e voltaram para o convívio dos familiares, comprovando a efetividade da gestão e dedicação dos profissionais que atuaram na linha de frente.

“Administrar um hospital é uma tarefa muito mais complexa que outras áreas da administração, devido a peculiaridade de tratar os pacientes sem esquecer da qualidade e segurança. Nos exige planejamento, organização e controle, necessitando de foco na melhoria contínua, satisfação dos colaboradores e usuários”, acrescenta, Rodrigo. O Diretor ressalta, ainda, a importância do trabalho em equipe para o andamento do trabalho.

Atualmente, o HPEG voltou a ser referência e retaguarda em casos de Ortopedia, Cirurgias Torácicas e Urologia. Tendo como prioridade a excelência no atendimento e a humanização, a unidade encerrou o ano de 2019 com 125 mil atendimentos realizados, sendo 7.872 consultas especializadas, 4.274 internações, 4.077 exames, 3.314 cirurgias e 56.288 atendimentos multiprofissionais.

Ainda em 2019, o Hospital Público Estadual Galileu foi o primeiro hospital público da capital a conquistar a certificação ONA 3 – Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), uma das mais respeitadas entidades avaliadoras dos serviços de saúde do país.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 24 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.