Dia da mulher do Hospital Galileu é marcado por debates sobre violência

A comemoração do Dia Internacional da Mulher, celebrado no próximo domingo (8), já teve início no Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), gerenciado pela Pró-Saúde em Belém. Ações como palestras, rodas de conversa e momentos de beleza foram promovidas para usuárias, acompanhantes e colaboradoras, com o objetivo de conscientizar sobre temas recorrentes como violência contra a mulher e valorização da autoestima feminina. Entre as ações de destaque está o debate sobre assuntos relacionados à violência contra a mulher, com representantes de abrigos para vítimas de agressão, programado para a próxima quarta-feira (11).

Em um primeiro momento, as acompanhantes de usuários internados na unidade, participaram de uma palestra com o tema “Enfrentamento à violência contra a mulher”, promovida pelo setor de humanização em conjunto com Assistência Social do HPEG. Silene Costa, Assistente Social responsável por ministrar a palestra, destacou a importância do debate sobre o tema, dentro e fora do Hospital. “O objetivo da palestra é sensibilizar quanto as estratégias de enfrentamento da violência contra a mulher, usando intermédios como a política nacional de violência contra a mulher, divulgação de informações da rede de atenção ao atendimento à mulher em situação de violência e o Disk Denúncia”, esclareceu a palestrante.

Com o objetivo de proporcionar um momento agradável de valorização da autoestima, uma equipe de profissionais voluntários levou até o HPEG serviços como massagens, design de sobrancelha e maquiagens, proporcionando relaxamento e cuidados com o corpo às usuárias e suas acompanhantes. “Como passamos muito tempo aqui dentro, ficamos tensas. Aproveitei para fazer uma massagem bem relaxante. Serviu, inclusive, para trazer mais disposição no cuidado ao paciente”, disse Maria Bernadete, acompanhante e cuidadora de um dos usuários internados no HPEG.

Sobre o HPEG                                                                                                     

O Hospital Galileu conclui o ano de 2019 com 125 mil atendimentos realizados, sendo 7.872 consultas especializadas, 4.274 internações, 54.077 exames, 3.314 cirurgias e 56.288 atendimentos multiprofissionais.

Gerenciado pela Pró-Saúde, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (SESPA). O Hospital Galileu foi o primeiro hospital público da capital a conquistar a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). Esta é uma das mais respeitadas entidades avaliadoras dos serviços de saúde do país.

Outro feito inédito foi a conquista do prêmio internacional “Health Care Climate Challenge”, que avalia instituições de saúde que estão avançando em direção ao cuidado inteligente com o meio ambiente. A unidade foi uma das cinco instituições nacionais vencedoras do Desafio do Clima pela Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis (Global Green and Healthy Hospitals – GGHH). O Hospital foi reconhecido na categoria de Redução de Gases do Efeito Estufa (não energia), entre 117 unidades que participaram com inscrições em todo o mundo.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade.

Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 24 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensora gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.