Hospital Galileu alerta para os ricos de excessos no Carnaval

Com atividades lúdicas e animadas, profissionais da unidade levaram informações sobre consumo consciente de álcool, prevenção de infecções sexualmente transmissíveis e acidentes de trânsito

A segunda semana do mês de fevereiro foi marcada pelo início da programação do Carnaval da Saúde, no Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém. Com atividades lúdicas, divertidas e músicas, setores como Farmácia, Núcleo de Educação Assistencial (NEAS) e Humanização levaram aos todos dentro da unidade algumas orientações sobre o consumo exagerado do álcool, prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s) e acidentes de trânsito. Estes são temas recorrentes na época carnavalesca e precisam ser abordados de forma constante e educativa.

A ação também contou com uma visita especial de representantes da Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOPA), que trouxe mensagens de conscientização sobre a importância da doação de sangue.

Durante a manhã desta quarta-feira (12), foi a vez do bloco do HPEG percorrer os corredores da unidade, que é gerenciada pela Pró-Saúde. Os colaboradores vestiram fantasias e levaram orientações por meio de músicas sobre higiene correta das mãos, prevenção de acidentes de trânsito e controle da infecção dentro do ambiente hospitalar. Cristiane Damasceno, escrituraria hospitalar, já participa do bloco há alguns anos e considera nobre a causa da ação.  “Acho a iniciativa interessante e com uma importância muito grande, a de levar informações aos nossos colegas de trabalho”, disse.

Conscientização aos pacientes                                             

Ainda fazendo parte da programação carnavalesca do HPEG, alguns setores se mobilizaram na conscientização com pacientes internados e seus acompanhantes. Profissionais da farmácia orientaram sobre o consumo exagerado do álcool e seus prejuízos para o organismo, principalmente quando ingerido com medicamentos. “É sempre recomendado não fazer o uso do álcool durante um tratamento medicamentoso. Entretanto, muitas pessoas utilizam remédios até para curar uma ressaca, sobrecarregando o organismo com substâncias químicas. O ideal, em casos como esse, é ingerir bastante líquido e se alimentar bem”, orienta a Farmacêutica Júlia Silvia.

Lidiana Souza, Supervisora de Humanização do HPEG, explica a importância em oferecer essas ações às pessoas que estão dentro da unidade, seja paciente, colaborador ou acompanhante. “Estamos alertando a todos sobre os perigos que existem durante o ano inteiro. Porém, em datas como o carnaval, algumas situações acontecem com mais frequência, como por exemplo, os acidentes de trânsitos ligados ao consumo exagerado do álcool e a transmissão de Infecções Sexualmente Transmissíveis”, explica Lidiana, que ainda distribuiu preservativos e folders explicativos sobre as IST’s.

As ações carnavalescas se estenderam até essa quinta-feira (13), com jogos de perguntas e respostas com a temática  das IST’S, controle da SEPSE (conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção), lavagem correta das mãos e prevenção de acidentes de trânsito. Para o paciente Dedson Assunção, a iniciativa de distribuir camisinhas é importante e precisa fazer parte da rotina de outros hospitais também. “Tenho uma irmã que é enfermeira em outro hospital e que adotará a ação em sua unidade também. Foi bem interessante e uma ideia motivadora, já que precisamos nos prevenir”, disse.

O Hospital Galileu conclui o ano de 2019 com 125 mil atendimentos realizados, sendo 7.872 consultas especializadas, 4.274 internações, 54.077 exames, 3.314 cirurgias e 56.288 atendimentos multiprofissionais.

Gerenciado pela Pró-Saúde, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (SESPA). O Hospital Galileu foi o primeiro hospital público da capital a conquistar a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). Esta é uma das mais respeitadas entidades avaliadoras dos serviços de saúde do país.

Outro feito inédito foi a conquista do prêmio internacional “Health Care Climate Challenge”, que avalia instituições de saúde que estão avançando em direção ao cuidado inteligente com o meio ambiente. A unidade foi uma das cinco instituições nacionais vencedoras do Desafio do Clima pela Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis (Global Green and Healthy Hospitals – GGHH). O Hospital foi reconhecido na categoria de Redução de Gases do Efeito Estufa (não energia), entre 117 unidades que participaram com inscrições em todo o mundo.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade.

Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 24 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensora gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.