Campanha Janeiro Branco mobiliza pacientes e colaboradores do Hospital Galileu

Em alusão à campanha “Janeiro Branco”, o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém, está promovendo uma série de ações entre seus usuários, acompanhantes e colaboradores, buscando proporcionar conscientização sobre os cuidados com a saúde mental e melhora na qualidade de vida. Com palestras, atividades lúdicas e relaxamento, os participantes puderam compreender a importância de cuidar da mente e manter o seu psicológico saudável.

Tendo como objetivo principal a conscientização e prevenção de transtornos mentais, a campanha “Janeiro Branco” já acontece há 4 anos no HPEG, unidade gerenciada pela Pró-Saúde. Além de cuidados voltados aos usuários, hábito que já faz parte da rotina assistencial do hospital, a ação busca também o cuidado com os colaboradores.

“Nós estamos trabalhando com a prevenção da doença mental. E isso está no dia-a-dia da pessoa durante sua percepção de como está se sentindo, como está se cuidando ou cuidando do próximo. Queremos mostrar que a saúde mental pode ser preservada com atitudes simples, que garantem uma excelente qualidade de vida. Por meio dessas ações, percebemos um retorno positivo dos nossos colaboradores”, explica a Psicóloga da unidade, Léa Azevedo.

Durante as sessões de relaxamento, organizadas pela equipe de psicólogas da instituição, os colaboradores passaram por uma dinâmica de autorreflexão. Para Camila Lima, enfermeira, o momento foi fundamental para entender a importância do auto cuidado com a mente. “Foi uma iniciativa muito rica para todos nós. Durante a atividade de se imaginar em um lugar que trouxesse paz, consegui relembrar um período bom da minha vida, que foi a infância”, disse.

Janeiro Branco para pacientes                                                  

A programação da campanha também conta com atividades desenvolvidas especialmente para os pacientes internados no HPEG e seus acompanhantes. Com recortes de revista, lápis de cor e papeis, os participantes colocaram a imaginação à solta ao explicar, de uma forma lúdica, o que entendem por saúde mental. A brincadeira fez parte da oficina terapêutica, realizada na tarde desta quinta-feira (30). Para a paciente Marilene Cardoso, o debate criativo sobre o tema é interessante. “Acho importante falar sobre o assunto. De uma forma descontraída fica melhor ainda”, conta.

Neste ano, o foco da campanha no HPEG foi o autoconhecimento e como isso pode auxiliar no combate às doenças mentais, como explica a Psicóloga, Rebeca Moreira. “O tema da campanha deste ano foi a auto percepção. Ou seja, como eu me percebo, como eu me sinto e de que forma lido com isso. Por isso, as atividades que estamos propondo levam descontração e relaxamento, fazendo com que o participante entenda o que está sentindo. E a ideia em levar a campanha aos nosso pacientes e acompanhantes é, justamente, ampliar a reflexão sobre o que é saúde mental e como podemos cuidar dela”, esclarece Rebeca.

Sobre o HPEG

O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) é uma unidade de retaguarda, que atende média e alta complexidades, e presta assistência hospitalar em traumato-ortopedia, clínica médica e cardiologia. O hospital, localizado na Rodovia Mário Covas, nº 2253, é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (SESPA).

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensora gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.