Hospital Galileu orienta sobre o risco de quedas no ambiente hospitalar

O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém, realizou nesta quinta-feira (9), uma ação especial para orientar paciente, familiares e acompanhantes sobre prevenção de quedas dentro de ambientes hospitalares.

Idealizada pelo setor de humanização do HPEG, unidade gerenciada pela Pró-Saúde, a iniciativa teve como objetivo disseminar, de forma lúdica com a utilização de um vídeo explicativo e animado, práticas de controle de queda. Vale lembrar que estes acidentes podem ocasionar danos graves aos pacientes hospitalizados.

Alinhado com uma das seis Metas de Segurança do Paciente da Organização Mundial da Saúde (OMS), que preconiza a prevenção de danos decorrentes de quedas, o HPEG adota medidas preventivas e realiza orientações entre seus pacientes e acompanhantes. Além disso, o tema é reforçado também com todos os colaboradores, garantindo um atendimento eficaz e com agilidade.

As ações de conscientização e aprendizagem são necessárias e contínuas dentro da unidade, como explica a enfermeira do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP), Fernanda Correa. “Tais medidas garantem o cuidado multiprofissional em um ambiente seguro e promovem a educação do usuário, familiares e profissionais. Por isso, são realizadas, constantemente, avaliações em todos os usuários assistidos no hospital, desde o momento da admissão até a sua alta”, esclarece.

Cláudia da Silva mora em Ulianópolis, localizado no sudeste do Pará, e foi internada no HPEG após sofrer uma queda em sua casa e fraturar a perna direita. “Já havia sofrido um acidente de moto e fraturado uma das pernas. Como estava fragilizada, escorreguei no banheiro de minha casa e acabei quebrando uma outra parte da perna”, relata. Para ela, após as orientações repassadas desde a sua entrada no hospital, a atenção está redobrada para evitar um novo acidente, principalmente dentro do hospital.

Prevenção

Por se tratar de uma Unidade Hospitalar que apresenta, na maioria dos casos, pacientes em tratamentos ortopédicos, todos são inseridos como usuários que possuem risco de queda. Por isso, ainda na sua admissão, são classificados como alto, baixo e sem risco.

Para sua identificação, é feita uma sinalização no leito e o uso de etiqueta circular amarela na pulseira de identificação. Além disso, são realizadas, constantemente, orientações massivas entre todos os usuários sobre os riscos e prevenção, como: orientação aos usuários, familiares e acompanhantes quanto ao possível risco de queda; Manutenção da cama na posição baixa, com rodas travadas e grades de proteção elevadas e fácil acesso à campainha de acionamento da enfermagem.

Sobre o HPEG

O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) é uma unidade de retaguarda, que atende média e alta complexidades, e presta assistência hospitalar em traumato-ortopedia, clínica médica e cardiologia. O hospital, localizado na Rodovia Mário Covas, nº 2253, é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (SESPA).

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 22 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.