A humanização no atendimento hospitalar é tema de encontro no Centur

Os hospitais Metropolitano e Galileu, gerenciados pela Pró-Saúde, apresentaram projetos desenvolvidos nas unidades que buscam diminuir a ansiedade e o estresse de pacientes no ambiente hospitalar

Nesta quinta-feira, 12, durante o I Encontro Coletivo de Humanização do Pará, realizado no Centur, equipes do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência e do Hospital Público Estadual Galileu, localizados em Ananindeua e Belém, respectivamente, apresentaram projetos que destacam o papel e a importância do trabalho de humanização no ambiente hospitalar.

Durante o evento, as equipes que atuam nos Grupos de Humanização das unidades, gerenciadas pela Pró-Saúde, compartilharam as experiências positivas de projetos voltados a assistência e que ajudam a diminuir o estresse e ansiedade na internação, além de melhorar a rotina dos pacientes.

O “Cine Galileu” e “Era-uma-vez: contando histórias”, projetos desenvolvidos pelo Hospital Galileu, são exemplos de ações que incentivam à leitura e levam sessões de cinema para dentro das enfermarias da unidade. O “Projeto Âncora”, que oferece capacitação no cuidado da saúde em casa para familiares de pacientes, e o “Dia do Acompanhante” e a “Visita Virtual”, também foram projetos compartilhados pela equipe e que disponibilizam aos pacientes meios tecnológicos para conversarem com familiares distantes.

Já no Hospital Metropolitano, os projetos “Cine Metrô” e “Laços” são ações de acolhimento utilizando a música e dinâmicas de interação entre a equipe assistencial e pacientes. A unidade também conta com o “Espaço do Acolhimento Transitório”, dedicado aos familiares de pacientes internados em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e no Centro de Tratamento de Queimados, com origem de regiões interioranas, proporcionando toda a assistência necessária a esses usuários, além do conforto, descanso físico e emocional do acompanhante.

Para Natália Failache, Supervisora de Humanização do Hospital Metropolitano, o encontro proporcionou a troca de experiências e a promoção de dispositivos de humanização realizados em centros de saúde públicos. “Quando levantamos esse tipo de debate, avaliamos toda uma realidade do paciente, acompanhante e do profissional, bem como melhores ações para contribuir com a estadia, focada não somente na recuperação da sua saúde física do paciente, mas também proporcionando um acolhimento e cuidado ao acompanhante”, declara.

Além do Metropolitano e Galileu, unidades de saúde pública do Governo do Estado, e gerenciados pela Pró-Saúde, o Encontrou também contou com a participação de representantes dos hospitais da Região Metropolitana de Belém, do Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e Unidades de Referência (URES) do Pará.

Por fim, as equipes das unidades gerenciadas pela Pró-Saúde aproveitaram para destacar a Política Instrucional de Humanização da entidade, que tem o intuito de trabalhar na busca de ações adequadas a realidade dos hospitais, fundamentadas na troca de experiências e voltadas para a transformação da realidade e das práticas dos serviços de saúde em prol dos pacientes.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 22 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.