Colaboradores do Hospital Galileu recebem palestra sobre depressão

A depressão é uma doença psiquiátrica que afeta o emocional da pessoa, podendo interferir no contexto de vida, impedindo a realização de atividades diárias com conflitos relacionais, trabalho ou estudo. Pode ser desencadeada por alguns fatores biológicos como: deficiência na produção de algumas substâncias pelo cérebro, herança genética, aspectos de personalidade e outros. É algo que, se não for tratado, causa uma diminuição na qualidade de vida do ser humano e até mesmo a morte. Pensando em garantir o bem-estar de seus colaboradores, o setor de Recursos Humanos do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém (PA), ofereceu, na tarde da última sexta-feira (05), uma palestra sobre depressão, seus sintomas e tratamentos. A ação acontece até essa terça-feira (09).

O evento, que teve como público alvo todos os seus colaboradores, faz parte do programa Qualidade de Vida oferecido pelo RH do Hospital. “O objetivo do programa é pensar na qualidade de vida do nosso colaborador. Por isso, é importante levar as informações para que ele possa identificar a doença, caso esteja passando por ela”, explica Elainne Castro, psicóloga organizacional do HPEG e ministrante da palestra.

Com os dados repassados durante a ação, os colaboradores receberam orientação precisas sobre a doença. “As informações foram úteis para identificar os sintomas até mesmo em pessoas próximas a nós”, disse Erick Araújo, colaborador do hospital.

Tristeza x Depressão

Um dos pontos discutidos durante a palestra foi a diferença entre os sintomas da tristeza e da depressão. Enquanto a tristeza dura algumas horas ou poucos dias e é causada, geralmente, por algum acontecimento isolado, a depressão pode durar meses ou anos e aparece sem motivo evidente. Na depressão, a angústia e o pensamento ruim não apresenta melhora, afetando aspectos da vida do ser humano, como saúde, trabalho, relacionamento, etc. É importante saber identificar a diferença dos sintomas para que o atendimento médico seja específico e eficiente.

Depressão no Brasil

Em dados recentes divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil está em primeiro lugar em um ranking de países da América Latina em casos de depressão. A pesquisa mostra que quase 6% da população brasileira sofre com a doença e a previsão é de que, até 2020, será a doença que mais deixará pessoas incapacitadas no mundo. Por isso, é importante que a pessoa esteja atenta a qualquer sintoma que possa representar uma possível depressão. “Os sintomas mais frequentes da depressão são alterações no sono e apetite, insatisfação com a aparência física, desânimo e reclusão social”, explica Elainne Estumano, psicóloga organizacional do HPEG. Assim que o diagnóstico da doença for feito, é importante procurar ajuda. “Os tratamentos mais eficazes são de múltipla ação, somando suporte social, acompanhamento psicológico e médico, alteração no estilo de vida e medicação em alguns casos”, acrescenta Elainne.

O Hospital Público Estadual, gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, oferece todo o suporte e apoio aos colaboradores que estejam passando por esse tipo de problema, colocando profissionais qualificados, como psicólogos, à disposição.

Sobre o HPEG

O hospital Público Estadual Galileu (HPEG) é uma unidade de retaguarda que atende baixa e média complexidades, e presta assistência hospitalar em trauma-ortopedia, clínica médica e Cardiologia. O hospital está localizado na Rodovia Mário Covas, nº 2253. A unidade é gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão Secretaria de Saúde do Estado do Pará (SESPA).

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.