Hospitais exaltam Pará Solidário em campanha que beneficia cooperativas e pacientes

Campanha tradicional em unidades administradas sob gestão da Pró-Saúde arrecadam roupas, alimentos e brinquedos.

A campanha Junho Solidário, realizada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, se fez presente em diversas ações humanizadas feitas por hospitais gerenciados pela entidade no Pará. Com o objetivo de estimular a doação de roupas, brinquedos, materiais de higiene e alimentos não perecíveis, o ato solidário proporcionou momentos de caridade, alegria e gratidão por meio das doações realizadas, principalmente, por colaboradores.

No Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém (PA), a entrega das doações foi feita no dia 19 de junho entre os catadores da Aral (Associação de Recicladores das Águas Lindas). A ação levou até a cooperativa aproximadamente 300 peças de roupas doadas que puderam ser entregues aos trabalhadores.

Sara Reis, responsável pela associação, agradeceu o gesto de solidariedade promovida por dezenas de pessoas. “Esse tipo de solidariedade é muito importante para os catadores. Eles se sentem valorizados e agradecidos por serem reconhecidos”, diz.

Outras ações já foram organizadas pelo hospital, como doações de alimentos, campanha de vacinação e palestras educacionais oferecidas pelos profissionais de saúde do hospital. “A campanha Junho solidário já faz parte da programação da Pró-Saúde. Nesta edição, beneficiamos a Aral, comunidade com quem já temos uma parceria e já desenvolvemos diversas ações beneficentes, mas sempre levando a orientação em saúde”, explica Lidiana Sousa, responsável pelo setor de humanização do Hospital Galileu.

Para o diretor do HPEG, Saulo Mengarda, a contribuição do hospital se inicia na coleta de lixo que é feita dentro da instituição, que faz o descarte da maneira correta. “Os catadores da Aral já coletam mensalmente todo o nosso lixo reciclável. Desenvolvemos várias ações com a associação durante o ano, sendo esta mais uma”, explica.

Desde 2014, a associação beneficiada recebe do hospital todo o resíduo reciclável que é gerado pela unidade.

Além do Hospital Galileu, foram arrecadadas 112 peças de roupas masculinas e femininas, 95 brinquedos e 10 pares de sapato no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE). A campanha irá beneficiar pacientes atendidos na unidade.

O HMUE é referência no tratamento de média e alta complexidade em traumas e queimados para a região Norte pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No momento do resgate, as roupas de muitas vítimas precisam ser cortadas para permitir o atendimento adequado fazendo com que, em alguns casos, não tenham o que vestir no período de internação e retorno para casa, principalmente se forem oriundos de outros municípios.

“Às vezes, o paciente não tem família próxima, está longe de casa. As doações são muito importantes para que possamos auxiliá-los. As peças passam por uma triagem e aquelas em bom estado de conservação são destinadas para a Seção de Processamento de Roupas (SPR) para higienização. Depois são classificadas por tamanhos e distribuímos conforme a demanda”, explicou a coordenadora de Humanização, Natália Failache.

Ainda na região metropolitana de Belém, o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo (HOIOL) fez da campanha Junho Solidário uma forma de chamar a atenção para outro tipo de doação: a de sangue. Durante o mês, alguns grupos de voluntários que visitaram o Hospital conheceram a Agência Transfusional instalada na unidade e aprenderam sobre a importância do doador de sangue no tratamento do câncer.

Uma dessas visitas foi transformada na campanha “Doe Life”. Alusiva ao universo de games e criada por grupos de cosplayers do Pará, a campanha mobilizou mais 50 voluntários para direcionar a doação de sangue ao Hospital Oncológico Infantil. Mais do que um ato de solidariedade, a Campanha ajudou a abastecer o estoque interno de sangue do Hospital e a salvar vidas. “No tratamento contra o câncer, as transfusões de sangue são constantes e com cada bolsa de sangue coletada, podemos salvar até quatro vidas”, explica a enfermeira Sâmia Medeiros, da Agência Transfusional do Oncológico Infantil.

Em julho, novas ações solidárias deverão acontecer entre hospitais do Pará. No Hospital Yutaka Takeda, foram arrecadados entre os colaboradores 45 quilos de alimentos não perecíveis, que serão doados em julho para Venezuelanos que estão em estado de vulnerabilidade na cidade de Parauapebas. Já no Hospital 5 de Outubro, foram feitas 20 cestas básicas, fruto da doação da comunidade local que participou de uma ação promovida pela unidade. Os itens serão doados para famílias carentes de alguns bairros de Canaã.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.