Hospital Galileu renova selo em programa nacional de alimentação sustentável

As boas práticas desenvolvidas pelo Serviço de Nutrição e Dietética (SND) do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém (PA) foram destaque durante a renovação do selo Green Kitchen. A unidade é gerida pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e conquistou o selo pela primeira vez em 2016.

A unidade criou o “Dia da Dieta Integral” e o projeto “Troque seu prato vazio por uma sobremesa” que estimulam o consumo de uma alimentação mais saudável e equilibrada.

O compromisso da hospital com ações sustentáveis como a utilização apenas de produtos de limpeza biodegradáveis e a redução do consumo de óleo de cozinha, assim como o uso do óleo de girassol – óleo extraído da semente e sem processo transgênico – que após o uso é encaminhado para reciclagem, também foram pontos de destaque dentro da avaliação.

A coordenadora do SND do Hospital Galileu, Laurena Von-Grapp, associa a conquista também ao trabalho desenvolvido dentro da unidade pelas Comissões de Resíduos e Sustentabilidade que são formadas por colaboradores de diversos setores do Hospital. “As práticas realizadas em nosso setor e instituição visam sempre o cuidado ambiental e social. Participo da Comissão de Resíduos e de Sustentabilidade da Unidade e, dessa forma, conseguimos também disseminar no Hospital como um todo a importância da quantidade de resíduos que geramos e o impacto que isso leva ao meio ambiente”, explicou.

Horta Orgânica

A avaliação do Programa Green Kitchen levou em consideração, ainda, uma novidade que está em implantação no Hospital Galileu: o cultivo de uma horta orgânica dentro da Unidade. Os resíduos orgânicos já começaram a ser encaminhados para compostagem e o adubo utilizado para plantio dos hortifrútis, está sendo produzido também através de cascas de legumes, frutas e borra de café que são utilizados na produção.

“A construção da horta trará benefícios para a produção de refeições do SND, no sentido de passarmos a utilizar temperos naturais produzidos em nosso próprio ambiente de trabalho, o que levará também o impacto econômico positivo. Me sinto realizada em disseminar entre os colaboradores essas práticas e acredito que a certificação reconhece o trabalho feito pela Pró-Saúde por meio de ações, comissões e projetos que são desenvolvidos pelos colaboradores”, concluiu Laurena Von-Grapp.