Prevenção e bem-estar é foco da IV SIPAT do Hospital Galileu

Com o foco na saúde do colaborador e na prevenção de acidentes de trabalho, o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), localizado em Belém (PA), realiza até a próxima quinta-feira, 01/11, a IV Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT) da Unidade. O Hospital Galileu tem, atualmente, cerca de 450 colaboradores em seu quadro.

A organização da IV SIPAT foi realizada pela CIPA da Unidade, que é gerida pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). A programação conta com palestras sobre prevenção do câncer de mama, segurança do trabalho, nutrição, além de atividades como aula de tai chi chuan, relaxamento laboral e cuidados de beleza.

Na abertura do evento, o atual presidente da Comissão Interna da Prevenção de Acidente (CIPA) e diretor Administrativo e Financeiro do Hospital, Marcos Silveira, ressaltou a importância da participação de todos os colaboradores nas atividades da SIPAT. “Vamos aproveitar essa semana para fazer algumas reflexões, contamos com a participação de cada um de vocês, chamem os colegas para participarem, teremos palestras de suma importância aqui”, disse.

“Estamos chegando a um nível de maturidade de excelência, de melhoria dos resultados e precisamos que cada vez mais todos os colaboradores tenham essa percepção”, afirmou o diretor Hospitalar do Hospital Galileu, Saulo Mengarda, em relação à importância da atenção de cada colaborador quanto a utilização dos equipamentos de segurança individual e, também, aos ensinamentos repassados em treinamentos e palestras.

Outubro Rosa

A programação da IV SIPAT do Hospital Galileu incluiu também a campanha “Outubro Rosa”. A coordenadora do Núcleo de Apoio à Gestão na Atenção à Mulher no Controle do Câncer de Colo de Útero e Mama (NAGAM), Nazaré Falcão, esteve na Unidade, na segunda-feira, 29/10, para ministrar palestra sobre o tema.

Nazaré falou sobre a importância do diagnóstico precoce na redução da mortalidade. “No Estado do Pará, infelizmente, ainda temos muito óbito por conta do câncer de mama, por falta de um diagnóstico precoce. Estamos trabalhando na conscientização das pessoas sobre a importância desse tema para reduzir a mortalidade, porque não tem como prevenir o câncer de mama, diferentemente do câncer de colo do útero”, explicou.