Encenação da Paixão de Cristo leva conforto a pacientes internados no Hospital Galileu

Faz uma semana que a auxiliar Administrativa Anne Pereira, de 31 anos, está internada no Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém (PA), onde se recupera após sofrer um acidente de moto. Ela que teve o pulso esquerdo quebrado durante o acidente e passará por uma cirurgia na próxima segunda-feira (2), ainda sofre com dores, mas encontrou certo alívio durante uma encenação da Paixão de Cristo, realizada na unidade na quarta-feira ( 28).

“Vendo as dores pelas quais Jesus Cristo passou, a gente acaba refletindo também sobre a nossa própria dor e que elas são pequenas perto do que ele passou”, disse Anne. “Eu gostei da apresentação também porque vou passar a Páscoa aqui, longe da minha família, então é bom ter esse momento”, ressaltou.

A encenação da Paixão de Cristo fez parte da Programação de Páscoa – festividade religiosa que lembra a ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no próximo domingo, – e aconteceu no corredor da unidade, despertando a atenção de usuários, acompanhantes e colaboradores. “Temos pacientes que já estão internados há bastante tempo, então esse momento ajuda bastante, dá uma maior motivação, fé renovada, porque nem todo mundo poderá ir à igreja ou até a comunidade que participa”, disse a técnica de Enfermagem do SCIH, Adriana Cardoso.

Gerido pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Hospital Galileu conta com o Programa de Voluntariado para dar apoio durante as apresentações musicais e teatrais na unidade. Dessa vez, o grupo Auxiliadores de Cristo da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, no bairro do Aurá, foi quem realizou a encenação da Paixão de Cristo. Quinze jovens participaram da iniciativa.

O coordenador do grupo, Jhonnatan César, de 20 anos, conta que essa foi a primeira vez que o grupo se apresentou no Hospital Galileu, porém ressalta a receptividade positiva. “Foi maravilhoso, uma experiência nova, vimos muitas pessoas entusiasmadas em assistir à peça, emocionadas e prestando muita atenção”, destacou.

Humanização

O princípio de humanização é muito forte dentro da unidade, que possui diversos projetos voltados à humanização do ambiente hospitalar, como o Cine Galileu, momento em que os usuários participam de uma sessão de cinema com direito a pipoca no auditório da unidade; o projeto “Era Uma Vez”, que proporciona um espaço para contação de histórias para os pacientes; o “Música no HPEG”, que busca melhorar a qualidade de vida do usuário internado por meio de apresentações musicais; entre outros.

A assistente administrativa da Humanização, Lidiana Sousa, afirma que essa atmosfera criada pelo ambiente hospitalar humanizado ajuda na recuperação dos pacientes. Por isso, a opção de aproveitar a Páscoa para levar a este público um momento voltado para a fé. “A fé ajuda muito no tratamento, contribui para melhorar o estado de saúde. E não só para o usuário, mas também para o colaborador da área da saúde, cuja profissão é também representa a doação em prol do próximo”, concluiu.